quinta-feira, 13 de junho de 2013

MÓDULO V - “Educação Sociedade e Trabalho: abordagem sociológica da educação.”

Módulo V
“Educação Sociedade e Trabalho: abordagem sociológica da educação.”
09/03/2013 - 16° Encontro:
Unidade I – Construção da lente sociológica.
- Porque estudar sociologia? Revolução Industrial. Revolução Francesa.
Unidade II – Funcionalismo – materialismo dialético.
- Teorias do Funcionalismo e do Materialismo Dialético. Pesquisa sobre a Biografia de Émile Durkheim, Karl Marx e Friedrich Engels.
16/03/2013 - 17° Encontro:
Unidade III – Educação na perspectiva conservadora, o registro conservador de Émile Durkheim e a influência do pensamento liberal de John Dewey e da Teoria do Capital Humano.
- Émile Durkheim. John Dewey – “Escola Nova”. Teoria do Capital Humano. Pratique pág. 45.
24/03/2013 - 18° Encontro:
Unidade IV – Educação na perspectiva critica: educação como reprodutora da estrutura de classes ou como espaço de transformação social.
- Louis Althusser. Antonio Gramsci. Cruzadinha. Pratique pág 64.
06/04/2013 – 19° Encontro:
Unidade V – Reestruturação capitalista, reformas do estado e o mundo do trabalho.

- Gincana de perguntas sobre a Unidade V.






09/03/2013 - 16° Encontro:
Unidade I – Construção da lente sociológica.
Porque estudar sociologia?
A Sociologia surge no século XIX como forma de entender e esplicar as mudanças ocorridas com a Revolução industrial e a Revolução Francesa. No entanto, é necessário frisar, de forma muito clara, que a Sociologia é datada historicamente e que o seu surgimento está vinculado à consolidação do capitalismo moderno.
 Revolução Industrial surgiu na Inglaterra, as principais mudanças que ocorreram com a Revolução Industrial:
·         Exploração do trabalho operário pelo capitalista,
·         Péssimas condições de trabalho,
·         Crescimento das cidades acelerando o processo de industrialização e provocando o Êxodo Rural,
·         Transformação do estilo de vida.
O trabalho artesanal foi substituído pelo trabalho manufaturado. A industrialização possibilitou uma produção e consumo em larga escala. O surgiu o capitalista, os artesões viraram operários das indústrias, a intensificação da exploração operária por parte do capitalista.
Revolução Francesa - A Revolução Francesa ficou conhecida como a “Grande Revolução”. Seus efeitos se espalharam pelo mundo e suas ideias são ainda dominantes na sociedade contemporânea.  Em agosto de 1789 liberta os camponeses do controle senhorial e acaba com os privilégios da nobreza e do clero. Foi o fim do regime feudal, foi proclamada a declaração dos Direitos Humanos e do Cidadão.

Unidade II – Funcionalismo – materialismo dialético.
As revoluções Industrial e Francesa provocaram uma série de transformações que marcaram a sociedade. Êxodo rural, crescimento das cidades, afirmação de novos valores culturais, industrialização, concentração de poder e dinheiro nas mãos da burguesia, exploração do tra­balho assalariado, miséria da população, revoltas sociais.
É nesse cenário que a Sociologia surge como ciência, com a preocupação de explicar os novos fatos sociais. Ao mesmo tempo, duas correntes de pensamento se desenvolviam e pro­curavam explicar toda a realidade. Apresentavam novas visões de mundo, buscavam compreender os fenômenos naturais. Es­sas teorias eram o Funcionalismo e o Materialismo Dialético.
O Funcionalismo - teoria do pensador francês Émile Durkheim (1858 -1917), considerado um dos pais da Sociolo­gia moderna. Durkheim via com otimismo as mudanças que sofriam as sociedades europeias do século XIX. Apontava como fatores causadores das crises sociais os aspectos mo­rais e não os econômicos. A visão de Émile Durkheim em relação à sociedade:
·         Buscava investigar os problemas sociais, da mesma maneira que pesquisavam os fenômenos da natureza,
·         Um bom funcionamento da sociedade,
·         Respeitar e se impor,
·         Melhor seguir o que já está pronto,
·         Teórico pensador.
Materialismo Dialético - foi concebido por Karl Marx (1818- 1883) e Friedrich Engels (1820-1895). Esses dois pensadores preocupavam-se com os efeitos da Revolução Industrial, que aumentou a produção das riquezas de forma extraordinária e também acarretou a miséria de milhões de trabalhadores. Eles desejavam encontrar uma alternativa para a humanidade, baseada em relações sociais de cooperação e distribuição igualitária da riqueza. A visão de Karl Marx em relação aos problemas da sociedade:
·         Pensava na miséria da sociedade,
·         Tinha visões diferentes
·         Buscava soluções para as mudanças causadas pela Revolução Industrial,
·         Karl foi prático.
- E você acredita que as pequenas reformas são suficientes ou é necessária uma mexida nos pilares, nas fundações, ou seja, na estrutura dessa casa chamada sociedade para acabar com os seus abalos?

Pratique Pág. 33 - Pesquisa sobre as biografias de Durkheim, Marx e Engels:
Émile Durkheim(1858-1917) foi sociólogo francês, nascido em Épinal e morreu em Paris. É considerado o pai da sociologia moderna. É criador da teoria da coesão social. Junto com Karl Marx e Max Weber, formam um dos pilares dos estudos sociológicos. Durkheim escreveu obras que foram definitivas nos rumos dos estudos sociológicos.
Karl Marx nasceu em Trier em 5 de Maio de 1818 e morreu em Londres a 14 de Março de 1883. A teoria sociológica defendida por Karl Marx fundamentava-se na crítica radical do capitalismo, onde predomina a exploração do trabalhador pela burguesia. Sob a sua óptica, havia aqueles que possuíam o capital produtivo com o qual expropriavam a mais-valia, constituindo assim a classe exploradora; de outro lado estavam os assalariados que não possuíam a propriedade. Com esta estrutura, Marx acreditava que a Educação era parte da superestrutura de controle usada pelas classes dominantes. Desacreditava no currículo que ela traria e na forma como seria ensinado. Defendia a educação técnica e industrial (essas ideias tiveram um impacto posterior na educação, especialmente no que diz respeito à educação tecnológica). Karl Marx defendia a educação pública e gratuita para todas as crianças. Esta era na sua visão, a solução para retirá-las do trabalho nas fábricas. Defendia ainda que a educação deveria formar o homem nos aspectos físico, mental e técnico, trazendo os panoramas do estudo, lazer e trabalho. O intuito fundamental deveria produzir seres humanos desenvolvidos integralmente através do trabalho produtivo, escolaridade e ginástica.
Friedrich Engels nasceu aos 28 de novembro de 1820, na cidade de Barmem, sua formação era baseada na filosofia. Friedrich Engels foi um teórico revolucionário alemão que junto com Karl Marx fundou o chamado socialismo científico ou marxismo. Engels ajudou Marx a desenvolver o método de análise da sociedade chamado de Materialismo Histórico Dialético. Apesar de ser filho de um rico industrial, desde muito jovem já se preocupava com a realidade de miséria em que os trabalhadores das indústrias viviam, quando estudante já possuía ideias esquerdistas e recebia influência de outras pessoas de países como Alemanha e França. Outro trabalho foi realizado em conjunto com Karl Marx, o Manifesto Comunista.

16/03/2013.
Unidade III – educação na perspectiva conservadora, o registro conservador de Émile Durkheim e a influência do pensamento liberal de John Dewey e da Teoria do Capital Humano.
Émile Durkheim – a educação é um fato social, coercitiva imposta às pessoas.
As pessoas:
·         Seres individuais
·         Seres sociais
John Dewey – “Escola Nova.”
Princípios básicos do liberalismo:
·         Igualdade
·         Individualismo
·         Liberdade
·         Propriedade privada
·         Democracia
A Teoria do Capital Humano elaborada por alguns economistas, entre eles Theodore Schultz, afirma que existe relação entre o desenvolvimento de um país e a educação de sua população. Ela afir­ma que os indivíduos que têm acesso à escolarização formal tornam-se mais capacitados para o trabalho e, em decorrên­cia disso, tornam-se mais produtivos porque adquiriram, por meio da educação, conhecimento intelectual e habilidades.
Pratique pág. 45 - pesquisa sobre Anísio Teixeira
Anísio Teixeira nasceu em 12 de julho de 1900 em Caetité na Bahia e morreu no Rio de janeiro em 1971, foi um dos signatários do Manifesto da Escola Nova, divulgado em 1932, que defendia a universalização da escola pública, gratuita e sem vínculo com nenhuma religião. Tal conceito foi trazido ao Brasil dos Estados Unidos, quando ele estudou na Universidade de Columbia e teve contato com a obra de John Dewey (1859-1952). Teixeira foi pioneiro na implantação de escolas públicas de todos os níveis e propunha que a rede deveria ser de tempo integral. Defendia a municipalização do ensino e que as escolas se responsabilizassem pela promoção de cidadania e saúde. Foi diretor do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), onde as pesquisas ganharam grande importância e como educador propôs e executou medidas para democratizar o ensino brasileiro e defendeu a experiência do aluno como base do aprendizado.

Neste dia fizemos um “Chá de Fraldas” para a colega Juselma, onde toda a turma colaborou e se divertiu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário